A Pedagogia da escuta na Educação Infantil

Por: Raisa Bela Gomes de Araújo
Graduanda em Licenciatura Pedagogia
Bolsista do Programa de Educação Tutorial – PET – UFBA

 

 

REGRAS-E-COMBINADOS-e1437358032802

Fonte: http: //ensinar-aprender.com.br/2011/07/plano-de-aula-direitos-e-deveres-da.html.

            A Pedagogia da Escuta é uma abordagem acolhedora e enriquecedora para propor uma prática educativa interessante, cujo papel do professor é agir por meio do amor e do respeito, possibilitando a criança se expressar livremente na sala de aula. Escutar, nesse sentido, é dar vez e voz aos alunos que se encontram no processo de ensino-aprendizagem, caracterizando assim, uma escuta sensível.

Esse tipo de escuta acontece entre a criança que fala e o adulto que ouve, possibilitando uma maior aproximação entre eles. Também propicia o desenvolvimento integral do sujeito através de uma relação recíproca, isto é, o reconhecimento do outro a partir de si mesmo. Consoante ao que defendem as autoras Cerqueira e Souza (2011, p. 17):

           O escutar pode ser definido como a sensibilidade de estar atento ao que é dito, ao que é expresso através de gestos e palavras, ações e emoções. O conceito encontra-se relacionado ao ouvir com atenção, o que infelizmente está um pouco distanciado da prática que é exercida na atualidade.

           Cabe ao professor nesse tipo de abordagem propiciar momentos para que isso aconteça, fazendo com que a escuta seja por curiosidade e por interesse em conhecer, cada vez mais, a criança que está convivendo. A escola é um lugar que permite o professor pesquisar e adquirir conhecimentos sobre seus alunos durante um processo contínuo. Por isso, o adulto precisa observar, refletir, registrar, interagir e dialogar com as crianças sobre seus sentimentos, suas experiências, o que aprendem na escola, o que pensam sobre si e sobre o mundo. Segundo Hamze, a Pedagogia da escuta (2002):

É uma abordagem inovadora e possibilita o desenvolvimento intelectual das crianças através do foco sistemático no perfil simbólico, levando as crianças pequenas a uma condição surpreendente de desenvolturas simbólicas e à criatividade. (Site Brasil escola).

           É importante pensar de que modo é significativo valorizar a escuta das crianças na Educação Infantil porque, muitas vezes, a criança passa muito tempo na escola e precisa manifestar seus desejos para compreender melhor seu espaço. Além disso, a criança é um sujeito ativo que tem vez, tem voz e precisa contribuir na formação do currículo, com a sua fala autônoma, relatando suas preferências que devem ser reconhecidas. A relação do professor–aluno é crucial para exercer as atividades em sala de aula, mas é preciso que o professor se mobilize e perceba a presença da criança em sua prática e qual é o lugar que ela está ocupando. Uma relação de respeito prevalece em um processo educativo com qualidade.

         Ainda convém lembrar que a escuta facilita a criança enxergar-se como sujeito participativo e protagonista de sua própria história. Não significa que o professor deve fazer suas vontades, mas criar condições para que a criança se desenvolva diante das descobertas, experiências e aprendizagens. É direito da criança frequentar uma escola de Educação Infantil de qualidade que respeite os modos que são próprios dela, isto é, ser, ver, interpretar e compreender o mundo.

          Dessa forma, ofertar espaços adequados, com professores formados para lidar com crianças pequenas é fundamental para acontecer um ensino eficiente que respeite a infância em contextos e realidades diferentes. Ademais, as crianças pensam diversas coisas sobre o que acontece no mundo e fantasiam conforme o que veem e conhecem. Com isso, elas perguntam, são curiosas, opinam sobre os assuntos, relatam sobre suas experiências vividas e de que forma vivem. A escuta voltada para atender essas demandas é a melhor forma de conhecer os pequenos e suas necessidades, construindo assim uma Pedagogia voltada à infância. Conforme a pedagoga Ristow (2012):

À medida que professores e gestores se convencem de que é possível “escutar as crianças”, mudam-se e os modos de atender e de desenvolver as práticas educativas. Assim, a prática educativa e a relação entre professor/criança/família muda. A criança é respeitada, aprende melhor, gosta de frequentar a escola e as famílias se sentem acolhidas e participativas de todo o processo. (Revista online)

            A pedagogia da escuta ficou mundialmente reconhecida pelo pedagogo e educador Loris Malaguzzi, de Régio Emilia, localizada na Itália. Fundador da ideia esse eeudcador criou um princípio de ensino que valoriza o processo educativo cultural, cujo objetivo é fazer com que as crianças compartilhem seus conhecimentos e saberes, sua criatividade e imaginação por meio de múltiplas linguagens, a saber: canto, dança, desenho, interpretação e pintura.

        Dessa forma, a escola que trabalha com essa abordagem pedagógica torna-se viva e transformadora por acreditar na capacidade de pensar e de aprender de cada criança. Por conseguinte, não existem as disciplinas formais e todas as atividades pedagógicas se desenvolvem por meio de projetos. Estes projetos, no entanto, devem ser planejados anteriormente por meio da participação dos próprios alunos e com a mediação do professor que deve acompanhar todo processo de criação. A relação recíproca e interativa entre o professor e os alunos deve ocorrer através da parceria, na qual interesses e envolvimentos sejam respeitados para que um objetivo comum seja alcançado: o saber.

     A abordagem pedagógica desenvolvida por Loris Malaguzzi evidencia a interconexão, isto é, o conhecimento não pode estar separado da realidade das crianças, pois seu aprendizado significativo depende da bagagem de informações que adquiriu. A prática da escola baseada na ideia de Reggio Emilia, segundo Nogaro (2013), “[…] orienta-se por concepção acurada do “ser criança”, lugar de transmissão e de criação de valores, de reconhecimento das crianças como cidadãos.”

          Como isso, percebe-se o quanto é importante valorizar a escola como espaço democrático e social. Por isso, a Pedagogia da escuta oportuniza a criança ter o direito de compartilhar seus saberes e auxilia para que ela descubra o sentido do que faz para significar suas ações. A criança sempre tem uma curiosidade, um desejo, uma dúvida, um interesse, uma contribuição. Ao escutá-la, o professor ajudará resolver suas inquietações quando souber interpretá-la, podendo também fazer sua avaliação. Assim, ele articulará melhor seu trabalho pedagógico, pois exerce o papel além de educador, mas de pesquisador que aprimora suas práticas observando o que acontecem realmente com a realidade dos seus alunos e de suas experiências.

            Em suma, utilizando a Pedagogia da Escuta, o educador precisa ser sensível para ouvir a criança atentamente, percebendo as linguagens, os códigos e os símbolos que as crianças utilizam para se expressar. Dessa maneira, o diálogo tornará significativo em seu conjunto, através de uma relação recíproca durante o processo de ensino-aprendizagem. De acordo com o educador e pesquisador da Infância Severino Antônio (2014) “Honrar a criança honra também a nós”. Além disso, pensar na Pedagogia da Escuta como concepção de ensino enriquecerá as práticas pedagógicas da escola, valorizando a infância, a criança como sujeito de suas aprendizagens pelas experiências e nas experiências da ação e do fazer dentro de uma perspectiva sócio-construtivista significativa.

REFERÊNCIAS

ELISABET, R. Arte de ouvir: depoimento. Revista online. Entrevista concedida a Projetos escolares creches. Disponível em: <http: //primeirainfancia.org.br/wp-content/uploads/2012/01/EntrevistaElisabet.pdf>. Acesso em: 19 de abril de 2017.

Escuta de crianças, Programa Paralapracá. 3’ 17’’. Disponível em: <https: //www.youtube.com/watch?v=kMX7zcLpgdk>. Acesso em 18 de abril de 2017.

HAMZE, A. A arte de registrar ideias. Disponível em: <http: //educador.brasilescola.uol.com.br/trabalho-docente/arte-ideias.htm>. Acesso em: 17 de abril de 2017.

HAMZE, A. As diversas linguagens da criança. Disponível em: <http: //educador.brasilescola.uol.com.br/trabalho-docente/as-diversas-linguagens-da-crianca.htm>. Acesso em: 17 de abril de 2017.

Na educação infantil é preciso escutar. 3’06’’. Disponível em: <https: //www.youtube.com/watch?v=ps3h1S1TPuw>. Acesso em: 23 de maio de 2017.

SERQUEIRA, T.C S. SOUSA, E.M. Escuta Sensível: O que é? (Escuta sensível em diferentes contextos laborais). In: ______. (Con)textos em escuta sensível. Brasília: Thesaurus, 2011. p. 15-30.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em POSTS. Bookmark o link permanente.

2 respostas para A Pedagogia da escuta na Educação Infantil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s