A importância do brincar no currículo da Educação Infantil

Por: Isa Bastos
Graduanda em Licenciatura Pedagogia
Bolsista do Programa de Educação Tutorial – PET – UFBA

brincar

Fonte:      FIN,A.O Lúdico na Educação Infantil: Jogar e Brincar, uma forma de educar.Neuropsicopedagogianasaladeaula.blogspot.com. Disponível em:<http:/ /neuropsicopedagogianasaladeaula.blogspot.com.br/2012/05/o-ludico-na-educacao-infantil-jogar-e.html>. Acessado em: 13 de Fer 2017.

 

O currículo da Educação Infantil, entre tantos aspectos que aborda, evidencia os elementos que constituem e orientam a proposta pedagógica para bebês e crianças (0 a 5 anos), a fim de garantir a educação e o cuidado dos pequenos nas instituições de Educação Infantil.

        Dentre esses elementos, de acordo com a Resolução CNE/CEB, n° 5 de 17 de dezembro de 2009, podemos citar,: as interações; o brincar e a brincadeira; as diferentes linguagens, os gêneros e as formas de expressão; as relações quantitativas, as medidas, as formas e as orientações espaço-temporais; as ações voltadas para o cuidado pessoal, a auto-organização, a saúde e o bem estar; o mundo físico e sociohistórico, a natureza, a biodiversidade e a sustentabilidade da vida na terra; o acompanhamento do trabalho pedagógico e a avaliação do desenvolvimento dos bebês e das crianças.

         Nesse texto, focaliza-se a importância que o currículo da Educação Infantil atribui aos momentos destinados ao brincar e a brincadeira, sendo esse elemento um dos eixos norteadores das práticas pedagógicas de todos os educadores. Antes, porém, de adentrar na reflexão sobre esse elemento constitutivo do currículo da educação infantil – o brincar e a brincadeira -, vale observar algumas definições importantes, a saber: conceito de criança, de infância, do brincar.

        A criança é um sujeito social que está sempre buscando descobrir e aprender coisas novas, como se estivesse numa fase de investigação do meio em que vive e, nessa interação com os outros sujeitos e com o seu ambiente aprende sobre si mesma, sobre o outro e sobre o mundo à medida que vai avançando no seu desenvolvimento.

 Criança é sujeito histórico e de direitos que, nas interações, nas relações e práticas cotidianas que vivencia, constrói sua identidade pessoal e coletiva, brinca, imagina, fantasia, deseja, aprende, observa, experimenta, narra, questiona e constrói sentidos sobre a natureza e a sociedade, produzindo cultura (BRASIL, 2010, p. 12)

      A infância se constitui na fase em que o ser humano vivencia a brincadeira, ou seja, aprende a brincar e interagir com os outros. Essa noção é construída socialmente e o seu significado varia dinamicamente de acordo com o tipo de sociedade.

A infância, é portanto, a aprendizagem necessária à fase adulta. Estudar na infância somente o crescimento, o desenvolvimento das funções, sem considerar o brinquedo, seria negligenciar esse impulso irresistível pelo qual a criança modela a sua própria estátua (CHATEAU, 1954, p. 14).

      O brincar envolve as ideias de brincadeira e brinquedo, sendo importante estabelecer uma distinção entre os três termos: a) o brincar que consiste no ato em si, ou seja, é a ação propriamente dita; b) a brincadeira que é a situação criada a partir da ação de brincar; c) o brinquedo que representa o objeto usado para brincar.

        No currículo da Educação Infantil, o brincar tem como propósito oportunizar às crianças, ambientes em que possam interagir com os brinquedos e objetos, individualmente e com outras crianças, através de brincadeiras que promovam situações de interação social. Ao brincar, a criança se desenvolve a partir do conhecimento de si, do mundo físico e social e, por meio da brincadeira constrói a realidade e o conhecimento do mundo interior e exterior OLIVEIRA( 2010).

       Felizmente a brincadeira no currículo da Educação Infantil é um conteúdo que deve ser contemplado com muito respeito, seriedade e compromisso pelos educadores, tendo em vista a necessidade e o direito que as crianças têm de brincar.

       O brinquedo e o brincar são encarados enquanto movimento de libertação da criança na medida em que possibilitam à criança reinventar seu mundo (BENJAMIN, 1984, p. 120).

        Nesse processo de reinvenção do mundo pelas crianças, elas aprendem quando a brincadeira ocorre, por exemplo, com crianças de faixa etária diferente. O brinquedo pode criar uma Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP) na criança, afirmam os autores que realizam pesquisas baseadas no conceito de ZDP apresentado na teoria de Vygotsky (QUEIROZ, 2006; ROLIM, 2008).

         Portanto, é imprescindível que as práticas pedagógicas na Educação Infantil revelem um currículo que contemple atividades que envolvam o brincar e ofereça espaços para as crianças terem liberdade de inventar, criar, imaginar e experimentar livremente, a fim de que elas explorem a si mesmas, o outro e o mundo. Isso é muito importante para o desenvolvimento das crianças.

Referências

BENJAMIN. Walter. A criança, o brinquedo e a educação. Trad. Marcos Vinicius Mazzari. Sao Paulo, Summus, 1984, p.120.

CHATEAU, Jean. O jogo e a criança. 2. ed. São Paulo: Summus, 1954.

BRASIL. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília: 2010, p. 12. Disponível em <http:/ /ndi.ufsc.br/files/2012/02/Diretrizes-Curriculares-para-a-E-I.pdf>. Acesso em: 25/02/2017.

______. Resolução CNE/CEB, n° 5 de 17 de dezembro de 2009: diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Disponível <w ww.seduc.ro.gov.br/portal/legislação/RESCNE005_2009.pdf>. Acesso em 26/02/2017.

OLIVEIRA, Z. de Moraes. Ramos de. O Currículo na Educação Infantil: O que propõem as Novas Diretrizes Nacionais? In: SEMINÁRIO NACIONAL: CURRÍCULO EM MOVIMENTO – Perspectivas Atuais,1., 2010,Belo Horizonte. Anais Eletrônicos…Belo Horizonte: Universidade de São Paulo, 2010. Disponível em:<http:/ /portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-pdf/7153-2-1-curriculo-educacao-infantil-zilma-moraes/file>. Acesso em: 13 de Fev 2017.

QUEIROZ, Norma Lucia Neris de; MACIEL, Diva Albuquerque; BRANCO, Angela Uchôa; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Brincadeira e desenvolvimento infantil: um olhar sociocultural construtivista. Paidéia, 2006, 16(34), 169-179.

ROLIM, Amanda Alencar Machado; GUERRA, Siena Sales Freitas; TASSIGNY, Mônica Mota. Uma leitura de Vygotsky sobre o brincar na aprendizagem e no desenvolvimento infantil. Revista Humanidades, Fortaleza, v. 23, n. 2, p.176-180, jul/dez, 2008.

VOLPINI, Maria Neli; TEIXEIRA, Hélita Carla. A importância do brincar no contexto da educação infantil: creche e pré-escola. Cadernos de Educação: Ensino e Sociedade, Bebedouro-SP, 1(1): 76-88, 2014.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em POSTS. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s