A importância de contar histórias para crianças no período pré-operatório

Por: Flavia Purificação Oliveira                                                                                               Graduanda em Pedagogia pela Universidade Federal da Bahia                                               Bolsista do Programa de Educação Tutorial – PET – UFBA

      Até os sete anos, a criança ainda não desenvolveu o pensamento abstrato. Ela busca o concreto, o material e, por isso, cabe @ educador@ utilizar meios para facilitar a compreensão da história.

      As histórias fazem parte da infância e despertam a fantasia e a imaginação da criança ajudando-a a lidar com aspectos inconscientes. Ao escutar uma história, a criança tem a oportunidade de abrir o leque de sua imaginação, aumentando seu vocabulário, possibilitando sua auto identificação e auto reconhecimento, podendo refletir para aceitar diversas situações cotidianas, além de desenvolver o pensamento lógico, favorecendo a memória e a criticidade através da exteriorização de humor e de satisfação de sua curiosidade natural. “As crianças vivem num mundo de imaginação e sentimento… Elas aplicam a forma que lhes agrada ao objeto mais insignificante, e veem nele tudo o que desejam ver” (OENHLENSCHALGUER, 1958 apud PAPALIA; OLDS, 2000, p. 295).

      Através das histórias, as crianças entram em contato com diferentes modos de enxergar e sentir o mundo, experimentando a dimensão simbólica da linguagem juntamente com o imaginário e o real. A partir do momento que a criança se identifica com determinado personagem ou situação, ela passa a querer ouvir a mesma história várias vezes, por isso, cabe @ professor@ trabalhar histórias que apresentam temas do cotidiano e outros conflitos que tratam de desenvolvimento.

      Apresentar a criança ao mundo da imaginação é favorecer conhecimentos que não se extinguem. O desenvolvimento da  criança ocorre através da interação contínua com o meio físico e social que propicia uma constante adaptação da realidade externa à realidade interna, o que leva em consideração o desenvolvimento afetivo.

contar-historias

     A prática de contar histórias se faz presente no cotidiano há muitas gerações, em diversas culturas e classes sociais, sempre com a finalidade de encantar a todos com a magia que retrata. Através da história, a criança cria em sua mente retratos que irão dialogar com personagens que surgem nas histórias. As crianças necessitam do lúdico para entender o mundo que as cercam, e ouvir histórias torna-se um meio de compreender e traduzir este mundo, além da facilitar a compreensão de sentimentos que não sabem definir, mas que estão presentes.

Referências:

PAPALIA, Diane; OLDS, Sally. Desenvolvimento Humano. 7ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

QUINTERO, Jesús. Contar historias. San Juan del Puerto, 2014. Disponível em: < https://reubicandomejesusq.wordpress.com/2014/01/27/contar-historias/&gt;. Acesso em: 12 mar 16.

Anúncios
Esse post foi publicado em POSTS. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s