A prática pedagógica com bebês e crianças pequenas

Por: Dandara Rodrigues dos Santos                                                                                     Programa de Educação Tutorial                                                                                        Licenciatura em Pedagogia-UFBA

bebe

      A prática pedagógica com os bebês depende da construção de um contexto, o qual precisa estar organizado e articulado com a realidade dos bebês. Dessa forma, se faz necessário o diálogo com as famílias para facilitar a interação do professor de creche com as crianças. Esses contextos se modificarão de acordo com as necessidades do grupo, devendo ser constituído pela organização do espaço, uso do tempo, adequação dos materiais e organização das práticas cotidianas.

      Diante desses aspectos que fazem parte das práticas pedagógicas com bebês e crianças pequenas, as autoras Santos (2013) e Barbosa (2010) salientam a importância da organização do espaço físico para o desenvolvimento da prática pedagógica com os bebês. Elas sugerem que o espaço físico tem função de articular os materiais, objetos e as relações entre os sujeitos; além disso, esse espaço deve ser pensado e planejado para permitir a acessibilidade desse público.

      O espaço organizado pode levar as crianças a explorá-lo de maneira autônoma, mas, precisa ser seguro e aconchegante para as crianças estabelecerem relações de confiança:

Todo o material que entra em uma sala para bebês deve ser avaliado quanto ao seu estado físico, suas possibilidades cognitivas, motoras e sensoriais, bem como quanto à sua qualidade cultural. Constitui compromisso da escola oferecer brinquedos e equipamentos que respeitem as características ambientais e socioculturais da comunidade. (BARBOSA, 2010. p. 08).

beb     Os bebês das creches tem direitos a outros espaços, como: bibliotecas, sala de música, pátio e parque. Entretanto todos precisam estar adequados as faixas etárias.

      A utilização do tempo é um dos pontos básicos para ser considerado na prática, com os bebês. Para realização de atividades (se alimentar, dormir, brincar e etc.), as crianças pequenas utilizam tempo maior se comparadas com as maiores; então, o professor das creches precisa se conscientizar sobre controle do tempo, o qual não deve ser a base de sua prática porque os bebês são diferentes. Eles apresentam ritmos variados que precisam ser respeitados.

      A rotina da prática pedagógica com bebês e crianças pequenas é composta por atividades que ocorrem durante o dia-a-dia. O desenvolvimento diário das atividades permite que os bebês tenham segurança e confiança no ambiente escolar no qual estão inseridos. Os acontecimentos dessas atividades contribuem para a construção da identidade social porque as crianças interagem com outras crianças coletivamente, explorando o corpo, os gostos, sentidos e sentimentos de maneira articulada.

      Segundo Barbosa:

Afinal, todos os dias, no mesmo lugar, juntamente com as mesmas pessoas, serão realizadas certas atividades e repetidos rituais. É nesse lugar que as crianças vão se encontrar com outras crianças, aprender a se relacionar, a conviver, a cooperar, discordar. É nesse espaço social que irão, com seus corpos, perceber os odores, escutar as vozes, olhar, observar, tocar, pois as crianças têm grande capacidade através dos sentidos. (BARBOSA, 2010. p. 09).

      As aprendizagens iniciais oferecidas pela prática cotidiana para os bebês são essenciais para o desenvolvimento individual e coletivo. Assim os bebês e as crianças pequenas constroem a autonomia nas diversas situações da vida.

      A prática pedagógica para bebês envolve a transição do contexto familiar para o contexto dos centros de educação infantil. Nessa perspectiva, ela precisa permitir a construção de habilidades, através de amplas experiências motoras, emocionais, cognitivas e sociais. Isto será feito através de atividades lúdicas, músicas, brinquedos, jogos, brincadeiras, materiais naturais, contação de histórias, teatro e televisão. Esses elementos são possibilidades para se construir ricas experiências no cotidiano com os bebês.

      Acredito que o respeito aos bebês é base para práticas pedagógicas que valorizam e consideram as crianças como sujeitos de direitos, ativos do processo de aprendizagem. Esse olhar permite perceber que elas possuem capacidades, que não podem ser restringidas somente ao cuidar.  Não podemos desarticular o cuidar do educar.

      Concluo que o professor de bebês e de crianças pequenas tem o papel de observar e de mediar experiências, valorizando a capacidade e incentivando os interesses e descobertas dos bebês e das crianças. Só assim, as crianças construirão confiança para explorar o mundo.

Referências:

BARBOSA, Maria Carmem Silveira. Práticas cotidianas na Educação Infantil – bases para a reflexão sobre as orientações curriculares. Relatório de pesquisa MEC-UFRGS. Brasília, 2010.

SANTOS, Marlene Oliveira. O lugar dos bebês e de suas infâncias nas práticas pedagógicas em instituição do proinfância. Salvador, 2013. Disponível em:< http://scholar.googleusercontent.com/scholar?q=cache:YQCgYmwUphAJ:scholar.google.com/&hl=pt-BR&as_sdt=0,5>.   Acesso em: 24 jun 15.

Anúncios
Esse post foi publicado em POSTS. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s