Aprendendo a somar brincando: atividade com alunos com Deficiência Intelectual

Por: Elisângela Aparecida Carvalho Cardoso                                                                     Programa de Educação Tutorial                                                                                         Licenciatura em Pedagogia – UFBA

 

Relato de experiência realizado:

Centro de Educação Especial da Bahia – CEEBA

Serie: EJA- Tempo Formativo – Eixo III. Vespertino. Período: maio de 2015.  Disciplina: Matemática.

Turma da Professora: Patrícia Diniz Gonçalves Silva

 

  INTRODUÇÃO

    Quando elaboramos atividades para alunos com Deficiência Intelectual, faz-se necessário respeitar o tempo de aprendizagem. Com isso, estratégias no ensino-aprendizagem das operações simples de adição em aulas de Matemática foram fundamentais para auxiliar nas resoluções de problemas matemáticos do cotidiano.

      De acordo com o Decreto Nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999, alunos com deficiência precisam “de meios ou recursos especiais […] para o desempenho de função ou atividade a ser exercida” e segundo o PCN de Matemática é importante que:

[…] as situações de aprendizagem precisam estar centradas na construção de significados, na elaboração de estratégias e na resolução de problemas, em que o aluno desenvolve processos importantes como intuição, analogia, indução e dedução, e não atividades voltadas para a memorização, desprovidas de compreensão ou de um trabalho que privilegie uma formalização precoce dos conceitos. (BRASIL, 1998, p.63).

 

        Levando em conta a importância de atividades práticas para resolução de problemas do cotidiano, nós, professores, podemos fazer uso de recursos variados para propiciar ensino-aprendizagem significativo.

    Concordando com o que é sugerido pelo PCN de Matemática (1998), damos continuidade a um projeto iniciado no ano de 2014, intitulado Reutilizar para aprender: estratégias de ensino em aulas de matemática para alunos com Deficiência Intelectual, no Centro de Educação Especial da Bahia (CEEBA), e aqui, relataremos as experiências com o jogo Cai, Cai Tampinha que teve inicio no ano letivo de 2015, com os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

TEMA: Jogo Cai Cai Tampinha

Conteúdo a ser explorado: operações simples de adição.

Objetivo Geral:

  Proporcionar aos alunos com Deficiência Intelectual, experiências com operações simples de adição, que permitam ampliar sua compreensão do conteúdo estudado, auxiliando-o no desenvolvimento do raciocínio lógico matemático e em resoluções de problemas diários.

Objetivos Específicos:

  • Entender as regras do jogo;
  • Resolução adições simples de adição;
  • Resolução de situações problemas, com valores reais, envolvendo as operações de adição;
  • Desenvolver estratégias para resolver as operações de adição;
  • Possibilitar a resolução de situações-problema.

Sequência Didática

1º momento: cada aluno recebe um kit do Cai Cai Tampinhas. Cada Kit é composto por uma garrafa pet transparente com vários furos, palitos de churrasco nas cores: natural, azul e preto e tampinhas de garrafas de refrigerante de varias cores.

Garrafa pet cortada e furada com palitos e tampinhas coloridas

Foto: Elisângela Cardoso

2º momento: explicando as regras do jogo para os alunos. 1º passo- explicando os valores das cores dos palitos, sendo: palitos na cor natural valem 01 ponto; palitos na cor azul valem 02 pontos e palitos na cor preta valem 03 pontos.  2º passo- o jogo tem início retirando os palitos da garrafa e quando cair tampinhas o jogo é finalizado (Nesse caso, cada aluno recebeu um kit, mas o jogo pode ser realizado em duplas). 3º passo- somar os valores dos palitos que ficar na mão. 4º passo- ganha o jogo o aluno que tiver o maior valor somado dos palitos que tiraram antes das tampas caírem. (veja regras do jogo para duplas no fim do texto).

Alunos ouvindo as regras do jogo

Foto: Elisângela Cardoso

3º momento: explicando o passo a passo do jogo. 1º passo- colocar as tampinhas dentro da garrafa e tampar. 2º passo- colocar os palitos nos furos da garrafa de forma que quando virar à garrafa as tampas não caia. 3º passo- virar a garrafa. 4º passo- tirar os palitos até que alguma tampinha caia.

1ª imagem: tampas no fundo da garrafa e colocar os palitos na garrafa, 2ª imagem garrafa com os palitos, 3º imagem garrafa virada e com as tampas em cima dos palitos.

Foto: Elisângela Cardoso

4º momento: explorando o jogo. Foi um momento para experimentação o jogo.

 

Encaixando os palitos e explorando as possibilidades do jogo

Foto: Elisângela Cardoso

 

5º momento: Depois do jogo testado, os alunos começaram a brincar.

Hora do jogo

Foto: Elisângela Cardoso

 

6º momento: somando valores.  Momento em que cada aluno somou os valores referentes às cores dos palitos que ficou na mão.

Conferindo valores

Foto: Elisângela Cardoso

 

7º momento: registrando os valores. No quadro escrevemos os nomes dos alunos e seus respectivos valores para saber quem fez mais pontos. Todos os alunos participaram das somas dos colegas.

8º momento: Ao término da aula, os alunos sugeriram mais duas cores e dois valores para o jogo: vermelho 10 pontos e lilás 05 pontos.

 

Alunos pintando mais palitos para o jogo

Apresentação1

Fotos: Elisângela Cardoso

 

 

Avaliação:

  A avaliação dos alunos com Deficiência Intelectual foi processual observando o desempenho, interesse, participação nas aulas e respeitando o tempo de aprendizado do aluno.  

 REGRAS DO JOGO

TAMPAS E PALITOS

1º passo- atribuir os seguintes valores para as cores dos palitos:

palitos na cor natural: 01 ponto;

palitos na cor azul: 02 pontos;

palitos na cor preta: 03 pontos.

2º passo- colocar as tampas dentro da garrafa e tampar;

3º passo- colocar os palitos nos furos da garrafa;

4º passo: virar a garrafa de modo para que as tampas fiquem em cima dos palitos;

5º passo- decidir no par ou impar quem vai iniciar o jogo;

4º passo- tirar um palito por vez em sistema de revezamento até todas as tampas caírem;

5º passo- somar os valores dos palitos retirados por cada um dos jogadores em função dos valores por cores (vide 1º passo).

 

COMO CALCULAR QUEM GANHA O JOGO

Quem fez o maior número de pontos por soma de cores de palitos;

Exemplo do jogo:

  • Pedro e Paulo tiram par ou impar e ganha Pedro.
  • Pedro tira um palito e passa a vez para Paulo.
  • Paulo tira um palito e passa a vez para Pedro.
  • Quando todas as tampinhas caírem, é hora de somar os valores conforme as cores.
  1. Pedro ficou com 03 palitos naturais (03 pontos), 04 azuis (08 pontos) e 04 pretos (12 pontos), totalizando 19 pontos.
  2. Paulo ficou com 02 palitos naturais (02 Pontos), 01 palito azul (02 pontos) e 01 palito preto (03 pontos), totalizando 07 pontos.

Ganhou Pedro, pois ficou com mais pontos somados.

 

REFERÊNCIAS:

BRASIL. Decreto Nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999.  Regulamenta a Lei no 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e dá outras providências.  Brasília, 1999.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática Ensino Fundamental I – Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. – 3. ed. – Brasília: A Secretaria, 1998.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em POSTS. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Aprendendo a somar brincando: atividade com alunos com Deficiência Intelectual

  1. Pingback: Aprendendo a somar brincando: atividade com alunos com Deficiência Intelectual | Matemática Criando e Aprendendo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s