EJA

Para além da panfletagem político-pedagógica: uma resenha crítica do texto: A formação dos educadores na EJA: o legado da Educação Popular de Mária Giovanetti

De acordo com GIOVANETTI, duas dimensões da atuação profissional do educador em geral são presentes na EJA: a dimensão prática, ou melhor, o fazer, a intervenção profissional em si e a dimensão teórica, como por exemplo, o pensar, a reflexão sobre a prática e a partir dela. A ação e reflexão devem compor o cenário da práxis profissional do educador, alimentando-se mutuamente. Além disso, da dimensão prática e teórica, existe terceiro elemento que se faz presente na práxis profissional, ou melhor, a explicação da intencionalidade que orienta ambas. Desse modo, o processo educativo pela intervenção profissional ganha um sentido.

É para o campo da EJA que os jovens e adultos que não tiveram acesso ou a permanência na escola, em idade que lhes era de direito, retornam hoje, buscando reescrever suas trajetórias. Esses sujeitos da educação trazem, neste retorno, experiências que deixam profundas marcas. São jovens e adultos que vão construindo ao longo de suas vidas, um auto-imagem marcada pelas descontinuidades identitárias.

Os alunos da EJA, ao vivenciarem, pelo viés da exclusão social, o agravamento das formas de segregação cultural, espacial, étnica, bem como das desigualdades econômicas, experimentam a possibilidade de falta de perspectivas de futuro social

A sociedade brasileira ainda apresenta fortes marcas do passado colonial, escravocrata, obstaculizando os processos de mudança social e é dentro das contradições vivenciadas em condição de excluídos socialmente que jovens e adultos das camadas populares constroem estratégias de superação de toda herança histórica que insiste em prolongar sua presença em juízo de mudanças. Mas não basta a simples consciência deste passado para garantirmos um melhor futuro aos alunos de EJA, mais ainda quando esta consciência revolucionária se encapsula em práticas político-partidárias que fazem do debate da educação de jovens e adultos uma simples panfletagem político-pedagógica sem qualquer preocupação com processos de ensino e aprendizagem implicados no ato de aprender.

É preciso preparar os nossos jovens e adultos para lerem, interpretarem e mudarem o mundo, mas exatamente não segundo os nossos sonhos…Educar é abdicar do direito de submeter o desejo do outro…

Referência:

GIOVANETTI, Maria. A formação dos educadores na EJA: o legado da Educação Popular. In. SOARES, Leôncio; GIOVANETTI, Maria. GOMES, Nilma; (org). Diálogo na educação de Jovens e Adultos. Belo horizonte: autêntica, 2005.

Anúncios
Esse post foi publicado em Posts 2009 - 2013. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s